Redes Sociais: O que o seu cliente quer ouvir? #3passos

O primeiro ponto a ser ressaltado nesse post é: não existe uma receita de bolo que faça com que o seu cliente se apaixone pela sua rede da noite para o dia, mas existe uma palavrinha que com certeza pode mudar toda essa história: relacionamento.

Tome Nota: é importante estabelecer qual Rede Social é mais adequada para o seu negócio, isso faz parte do discurso da sua marca.

relacionamento com cliente

É importante lembrar que a sua rede não é uma vitrine do seu negócio (então nada de ficar bombardeando seu receptor com promoções), mas sim, um local onde você pode/deve se relacionar com os seus atuais e futuros clientes. Mas como isso é possível?

A internet tornou-se o canal de atendimento ao cliente preferido hoje em dia, por causa da sua flexibilidade, agilidade e eficiência.
Algumas empresas podem pensar que a existência de uma Fan Page no Facebook ou uma conta no Twitter é suficiente. Mas na verdade, assim como qualquer outro método, os clientes precisam de um serviço de qualidade.

Por isso tenha o foco nos seguintes passos:

1) Seja Rápido: A velocidade é fundamental

Uma das principais razões que levam os clientes para as redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram, entre outras) é a resposta imediata. Então, é importante lembrar que você tem um curto período de tempo para suas respostas, sejam elas em algum post, mensagens privadas ou em perguntas do seu cliente.

2) Escute: opiniões, críticas, elogios…

Se um cliente opina sobre um produto ou serviço aproveite essa crítica e faça algo útil, assim, seus clientes irão perceber que você está realmente interessado. Torne cada observação uma oportunidade para melhorar o seu serviço e não esqueça de agradecer os elogios e críticas.

Quando os clientes percebem que você interage, eles se sentem  mais conectados à sua marca.

3) Interaja: sua rede deve ser SOCIAL

Explore o potencial da sua empresa. Criar um vínculo nas redes é algo essencial. Informar o seu público sobre novidades e o que acontece com a sua marca é muito importante, assim como manter contato e interagir com eles.

Desenvolva um trabalho sério e próximo e tenha sucesso!

Por Isabela Porfírio

Fonte: LinkedIn

Porque sua empresa precisa de um blog?

Alguém já te falou que seria importante para sua empresa ter um blog? Se nunca, falo agora. Seria bom sua empresa ter um blog! Por que? Porque trata-se de uma ferramenta que vai fazer seu cliente se relacionar com a sua marca, vai fortalecer sua estratégia de marketing digital e ajudar a ampliar o seu alcance no mercado. Mas não é só isso.

Para tentar te convencer de que essa plataforma pode transformar seu negócio, separamos três motivos mais do que especiais:

1. Ganhar posições nos resultados das buscas: “As ferramentas de busca como o Google reconhecem e premiam com posições melhores quem tem atualizações de conteúdo constantes.” É o que afirma a especialista da Contentools, Emília Chagas.

Pois é, você que quer ser o primeiro lugar do GOOGLE tem que começar a investir em conteúdo. E se no Facebook ou no Instagram a recomendação é pouco texto e muita imagem, no seu BLOG você tem mais espaço para se tornar importante para seu cliente e ser mais facilmente encontrado no GOOGLE ou em outras ferramentas de pesquisa.

Uma observação importante: nada de texto enorme. Seja direto!

2. Fazer um investimento baixo e duradouro

Não está podendo ter muito custo com divulgação? Como você já sabe as ferramentas digitais são excelentes ferramentas para baixar o seu investimento. Existem muitas plataformas gratuita (o WordPress é um exemplo), que não requerem conhecimento muito avançado para instalar e começar a usar.

Atenção! Você sabe o que vai escrever? Sabe o que atrai seu cliente? Qual estratégia vai usar? Vai ter tempo para atualizar o blog pelo menos uma vez por semana? Economizando com outros custos como a própria ferramenta, é interessante pensar em um profissional que possa gerenciar essa e outras ferramentas digitais. Aí entra a agência, que pode ter ajudar! #jabákiwi 

3. Tornar-se referência em sua área

Pense em como você pode ser útil para seu cliente. Porque ele vai se interessar por seu conteúdo? Fuja dos posts altamente comerciais, invista em informações que são relevantes ao seu público. Um exemplo super simples: Se você tem uma loja de decoração, ao invés de falar dos seus produtos, explique como a pessoa pode economizar quando estiver de mudança.

“Quando eles precisarem do produto ou serviço que você oferece, lembrarão da empresa que os informou e ajudou a tomar muitas decisões.” 

Está convencido? Esperamos que não fique só no papel. Coloque tudo em prática!

Texto: Amanda Britto

Fonte de pesquisa: Contentools

5 motivos para sua empresa estar na INTERNET

O mundo se conecta hoje através da internet. Segundo dados do IBGE, 50% das casas brasileiras possuem acesso à internet e o smartphone é o meio principal de acessá-la.

Nesse cenário, surgem oportunidades para as empresas prosperarem no meio online, criando um espaço para a sua marca dialogar com atuais ou potenciais clientes de forma rápida, objetiva e constante.

Mas será que meu negócio precisa mesmo estar na internet? Eu já tenho uma loja física, não é suficiente? A seguir, te damos cinco motivos para repensar essa ideia e colocar sua empresa na internet.


1- Encontrar referências online traz credibilidade

Ter o próprio site ou mesmo um perfil em uma rede social demonstra a preocupação da empresa em informar e querer ser encontrado por clientes potenciais. E achar essas referências de uma marca faz a diferença para o consumidor.
Um estudo feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal de educação financeira ‘Meu Bolso Feliz’ aponta que nove em cada dez consumidores brasileiros com acesso à internet assumem o hábito de fazer pesquisas online antes de fazer compras em lojas físicas. A pesquisa mostra ainda que o comportamento é frequente em todas as faixas etárias, mas surge com mais força entre as pessoas com idade entre 18 e 34 anos (93%).

2- Comunicação diária

A comunicação diária com o público é outro ponto positivo do trabalho na internet. Seja através do blog do seu site ou do seu perfil em uma rede social, você pode fazer a informação chegar ao público que lhe interessa a qualquer momento. Criando uma frequência de trabalho você interage de forma direta com seu público, troca informações, tira dúvidas, fecha negócios e ganha mais credibilidade.

3- Alcances com potencial mundial

Sua loja física pode virar uma loja virtual e a presença de uma não exclui a outra. Com uma gestão estruturada você pode expandir a sua marca globalmente se quiser. Os e-commerces existem em vários nichos do mercado desde a venda de roupas, viagens até produto e serviços.
Montando uma estrutura segura e com uma logística bem organizada, seu e-commerce pode abrir uma fonte de renda complementar que vai completar o trabalho da sua loja física. Onde seu consumidor estiver, vai poder consumir aquilo que você oferece.

4- Engajamento nas redes sociais

Internet exige movimento, constância, relacionamento. Ter um site desatualizado ou um perfil no Facebook, por exemplo, e sequer atualizá-lo mostra que por ali o cliente não terá resposta a qualquer contato que fizer ou dúvida que queira tirar com a empresa.
Por isso é importante planejar e monitorar as ferramentas de comunicação criadas. Nessas plataformas, você poderá se comunicar e engajar seus clientes em ações, promoções e as novidades que venha a trazer para o mercado. Relacionamento é o objetivo de todo trabalho na internet.

5- Resultados ao seu alcance

Mas como saber se todo trabalho de comunicação está trazendo resultados? Esse é o ponto principal para evoluir suas estratégias e saber o que precisa ser repensado ou refeito. Ferramentas como o Google e Facebook oferecem relatórios de tudo o que você faz nessas plataformas e possibilitam aprimorar mês a mês a eficácia das ações executadas. Se você tem metas bem definidas e estratégias para alcançá-las, avaliar esses números será muito mais fácil depois. Para ter resultados é preciso saber aonde se quer chegar e definir as ações para não só lucrar financeiramente, mas também em força da imagem da sua empresa para o público.

Por Magali Pereira