Porque sua empresa precisa de um blog?

Alguém já te falou que seria importante para sua empresa ter um blog? Se nunca, falo agora. Seria bom sua empresa ter um blog! Por que? Porque trata-se de uma ferramenta que vai fazer seu cliente se relacionar com a sua marca, vai fortalecer sua estratégia de marketing digital e ajudar a ampliar o seu alcance no mercado. Mas não é só isso.

Para tentar te convencer de que essa plataforma pode transformar seu negócio, separamos três motivos mais do que especiais:

1. Ganhar posições nos resultados das buscas: “As ferramentas de busca como o Google reconhecem e premiam com posições melhores quem tem atualizações de conteúdo constantes.” É o que afirma a especialista da Contentools, Emília Chagas.

Pois é, você que quer ser o primeiro lugar do GOOGLE tem que começar a investir em conteúdo. E se no Facebook ou no Instagram a recomendação é pouco texto e muita imagem, no seu BLOG você tem mais espaço para se tornar importante para seu cliente e ser mais facilmente encontrado no GOOGLE ou em outras ferramentas de pesquisa.

Uma observação importante: nada de texto enorme. Seja direto!

2. Fazer um investimento baixo e duradouro

Não está podendo ter muito custo com divulgação? Como você já sabe as ferramentas digitais são excelentes ferramentas para baixar o seu investimento. Existem muitas plataformas gratuita (o WordPress é um exemplo), que não requerem conhecimento muito avançado para instalar e começar a usar.

Atenção! Você sabe o que vai escrever? Sabe o que atrai seu cliente? Qual estratégia vai usar? Vai ter tempo para atualizar o blog pelo menos uma vez por semana? Economizando com outros custos como a própria ferramenta, é interessante pensar em um profissional que possa gerenciar essa e outras ferramentas digitais. Aí entra a agência, que pode ter ajudar! #jabákiwi 

3. Tornar-se referência em sua área

Pense em como você pode ser útil para seu cliente. Porque ele vai se interessar por seu conteúdo? Fuja dos posts altamente comerciais, invista em informações que são relevantes ao seu público. Um exemplo super simples: Se você tem uma loja de decoração, ao invés de falar dos seus produtos, explique como a pessoa pode economizar quando estiver de mudança.

“Quando eles precisarem do produto ou serviço que você oferece, lembrarão da empresa que os informou e ajudou a tomar muitas decisões.” 

Está convencido? Esperamos que não fique só no papel. Coloque tudo em prática!

Texto: Amanda Britto

Fonte de pesquisa: Contentools

5 motivos para sua empresa estar na INTERNET

O mundo se conecta hoje através da internet. Segundo dados do IBGE, 50% das casas brasileiras possuem acesso à internet e o smartphone é o meio principal de acessá-la.

Nesse cenário, surgem oportunidades para as empresas prosperarem no meio online, criando um espaço para a sua marca dialogar com atuais ou potenciais clientes de forma rápida, objetiva e constante.

Mas será que meu negócio precisa mesmo estar na internet? Eu já tenho uma loja física, não é suficiente? A seguir, te damos cinco motivos para repensar essa ideia e colocar sua empresa na internet.


1- Encontrar referências online traz credibilidade

Ter o próprio site ou mesmo um perfil em uma rede social demonstra a preocupação da empresa em informar e querer ser encontrado por clientes potenciais. E achar essas referências de uma marca faz a diferença para o consumidor.
Um estudo feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal de educação financeira ‘Meu Bolso Feliz’ aponta que nove em cada dez consumidores brasileiros com acesso à internet assumem o hábito de fazer pesquisas online antes de fazer compras em lojas físicas. A pesquisa mostra ainda que o comportamento é frequente em todas as faixas etárias, mas surge com mais força entre as pessoas com idade entre 18 e 34 anos (93%).

2- Comunicação diária

A comunicação diária com o público é outro ponto positivo do trabalho na internet. Seja através do blog do seu site ou do seu perfil em uma rede social, você pode fazer a informação chegar ao público que lhe interessa a qualquer momento. Criando uma frequência de trabalho você interage de forma direta com seu público, troca informações, tira dúvidas, fecha negócios e ganha mais credibilidade.

3- Alcances com potencial mundial

Sua loja física pode virar uma loja virtual e a presença de uma não exclui a outra. Com uma gestão estruturada você pode expandir a sua marca globalmente se quiser. Os e-commerces existem em vários nichos do mercado desde a venda de roupas, viagens até produto e serviços.
Montando uma estrutura segura e com uma logística bem organizada, seu e-commerce pode abrir uma fonte de renda complementar que vai completar o trabalho da sua loja física. Onde seu consumidor estiver, vai poder consumir aquilo que você oferece.

4- Engajamento nas redes sociais

Internet exige movimento, constância, relacionamento. Ter um site desatualizado ou um perfil no Facebook, por exemplo, e sequer atualizá-lo mostra que por ali o cliente não terá resposta a qualquer contato que fizer ou dúvida que queira tirar com a empresa.
Por isso é importante planejar e monitorar as ferramentas de comunicação criadas. Nessas plataformas, você poderá se comunicar e engajar seus clientes em ações, promoções e as novidades que venha a trazer para o mercado. Relacionamento é o objetivo de todo trabalho na internet.

5- Resultados ao seu alcance

Mas como saber se todo trabalho de comunicação está trazendo resultados? Esse é o ponto principal para evoluir suas estratégias e saber o que precisa ser repensado ou refeito. Ferramentas como o Google e Facebook oferecem relatórios de tudo o que você faz nessas plataformas e possibilitam aprimorar mês a mês a eficácia das ações executadas. Se você tem metas bem definidas e estratégias para alcançá-las, avaliar esses números será muito mais fácil depois. Para ter resultados é preciso saber aonde se quer chegar e definir as ações para não só lucrar financeiramente, mas também em força da imagem da sua empresa para o público.

Por Magali Pereira

Kiwi Entrevista :: Gisele Ribeiro – Plano de Mkt

Ter um Plano de Marketing bem sucedido é fundamental para que uma empresa tenha resultados positivos em relação a seus objetivos. Hoje nossa VP de Marketing, Gisele Ribeiro, conta como esse processo é feito, os desafios e a parte mais satisfatória dele.
O Plano de marketing desenvolvido pela Kiwi pretende criar uma consciência empresarial de completa adequação ao mercado. Levantamos dados importantes a respeito de todas as áreas da empresa e a partir desta análise é definido um roteiro para a máxima integração da empresa tanto com seu mercado consumidor como para definições de estratégias de preço, ponto de venda e distribuição. Desta forma, o marketing não se limita à comunicação, sendo esta apenas uma das peças chave para o seu desenvolvimento.
O resultado deste estudo são os seguintes relatórios:
1) Estudo macro e microambiental. Análise de concorrentes. Análise Swot
2) Análise de Marca e posicionamento. Definição de discurso e diferenciais.
3) Planejamento de comunicação: Definição de ferramentas e plano de mídia.
Este processo é feito com um levantamento de dados, por meio de pesquisas documentais, secundaria externa e dados internos da empresa estudada. São analisados os objetivos da marca e traçadas estratégias e metas para cada objetivo.
O desafio maior é fazer uma análise correta dos dados para que não haja decisões com base em conclusões equivocadas dos números e mergulhar na realidade da empresa é fundamental para que isso aconteça.
O melhor de todo o processo, sem dúvida, é bater as metas depois de um trabalho bem pensado e bem executado.

Para se manter no topo – Bárbara Alves do Procopão

“Dinheiro gasto com divulgação, mídia e comunicação com cliente não é custo, é investimento!” - Bárbara Alves, sócia do Procopão.

Atualmente, a Kiwi desenvolve o trabalho de assessoria, produção de conteúdo e monitoramento das mídias sociais do Procopão. Um dos bares mais respeitados de Juiz de Fora, com 86 anos de existência e liderança, com pratos premiados, qualidade e excelência no atendimento já reconhecidos.

Os sócios do bar se preocupam em desenvolver uma comunicação contínua e próxima ao público. Por isso, resolvemos perguntar a eles, algumas questões sempre muito ouvidas por nós da área. Dúvidas como, por exemplo, “porque um local tão prestigiado, que tem fila de espera todo fim de semana, continua investindo em comunicação?”. Perguntamos também, porque em tempos de queda no movimento o investimento em publicidade é mantido e muitas vezes ampliado. As respostas para essas perguntas você confere logo abaixo, com uma das sócias do bar, Bárbara Alves.

Kiwi: O Procopão é uma empresa consolidada, com nome forte no mercado e tem grande procura do público. Por que vocês continuam fazendo divulgação se já tem um volume alto de vendas?

Bárbara: Uma marca só é lembrada quando é vista. Muitas vezes, alguns clientes já têm preferência pela nossa casa, pelos nossos pratos, pelo nosso atendimento e tendem a frequentar nosso bar sem nenhum tipo de estímulo. Mas se expormos a nossa marca, divulgando nossos produtos e aguçando a vontade das pessoas de estarem conosco, essa vinda será estimulada, gerando uma memória recente que, em qualquer oportunidade, nosso cliente se lembrará de nossa casa por sentir vontade de consumir aquele produto ofertado de forma tão apetitosa.

“Podemos pensar na marca Coca-Cola que se mantém fazendo propaganda, aguçando a vontade do público de consumir o refrigerante, além de vender uma imagem de quem o consome. Estimular o cliente a consumir o produto que você tem a oferecer, seja a partir da divulgação do produto propriamente dito ou simplesmente da marca, é o ponto chave para ser sempre lembrado.”Bárbara Alves.

Página do Procopão no Facebook

Kiwi: Em momentos de queda de movimento muitos estabelecimentos param de fazer o trabalho de divulgação/comunicação com o objetivo de cortar despesas. Por que o Procopão vai na contramão desse movimento e aumenta o investimento em publicidade durante esses períodos? 

Bárbara: São justamente nos períodos mais difíceis que precisamos reforçar os investimentos em divulgação, marketing e comunicação com os clientes. Algumas empresas, ao perceberem queda no movimento e consequentemente, queda no faturamento, começam a realizar cortes nos custos a fim de conter gastos. Algumas vezes, suspendem o dinheiro gasto com mídia e divulgação, por entenderem ser supérfluo nesse momento de crise. No entanto, é preciso pensar que quem traz retorno financeiro à empresa são os clientes e que se com divulgação está havendo queda nas vendas, sem divulgação o quadro se agravará.

“Portanto, diante de momentos difíceis de queda de movimento, uma das primeiras medidas é reforçar a divulgação da empresa, buscando trazer de volta os antigos clientes e criar promoções que agucem a curiosidade de clientes potenciais conhecerem a marca e os produtos oferecidos por ela.” Bárbara Alves.

Os sócios, Bárbara, Sérgio e Cristina.

Kiwi: O público de vocês tem uma faixa etária mais alta, mas há quase dois anos o Procopão utiliza as mídias sociais como forma de divulgação. Por que optaram por essa ferramenta?

Bárbara: Nós somos um bar que preza muito pela tradição por termos 86 anos de história. No entanto, é necessário mantermos o equilíbrio entre a tradição e a atualização, objetivando cultivar ainda muitos mais anos de Procopão. Uma empresa que deseja se manter viva no mercado precisa estar antenada com o que está acontecendo no momento, quais são as preferências dos seus clientes, qual é a melhor forma de se comunicar com eles, dentre outras questões chaves. Nós percebemos que havia uma grande tendência de utilização das redes sociais pelas pessoas de forma geral e decidimos investir nesse meio de comunicação como uma forma de estarmos inseridos onde todas as pessoas estavam conectadas durante todo o tempo. Para atingirmos o público mais jovem, que naquela época não era a maioria que frequentava a nossa casa, elaboramos as mídias de divulgação de forma mais atrativa e combinamos com outras ações focadas para faixas etárias mais baixas, buscando conquistar esse público.

“Avaliamos com excelente olhos as ações empreendidas, pois hoje nosso público é bem miscigenado no que diz respeito à faixa etária, além de termos uma ótima participação de nossos clientes em nossas mídias sociais.” Bárbara Alves.

Como foi muito bem apontado pela Bárbara, o trabalho de comunicação deve ser constante e utilizado estrategicamente para se adaptar a cada situação que o negócio enfrente, seja um momento de crise ou de volume alto de vendas. Manter a sua marca na mente do seu cliente é fundamental e para isso é preciso divulgá-la.

Agradecemos ao Procopão, seus sócios e funcionários por esses anos de trabalho e parceria! Que venham muitos mais!

Amanda Britto :: Diretora de Atendimento

Por onde começar? Entrevista Magali Pereira

O trabalho estratégico de comunicação é fundamental para que uma empresa tenha resultados positivos em relação a seus objetivos. Cada organização precisa de ações específicas e não existe uma receita de bolo, que aplicada a diversas marcas, infinitas vezes, dará certo sempre. Em cada situação uma ferramenta, uma estratégia, uma campanha.

A nossa gerente de contas, Magali Pereira, bateu um papo comigo e esclareceu algumas as dúvidas mais comuns quando o assunto é o que fazer em comunicação e por onde começar.

Kiwi: O que você identifica ser a maior necessidade da empresa que não tem um trabalho de comunicação ainda ativo?

Maga: A organização. Ter um trabalho de comunicação integrada abre portas para o negócio progredir. Identificamos necessidades, discutimos com profissionais de outras áreas e assim conseguimos criar estratégias de comunicação, apostando em ideias mais certeiras e bem estruturadas.

Kiwi: Qual estratégia ou ferramenta você indicaria para um cliente que quer começar um trabalho de divulgação?

Maga: A definição de uma estratégia ou ferramenta varia de acordo com a necessidade de cada cliente. Por exemplo, quando se fala de mídias sociais, muitas empresas encontram seu público no Facebook, por exemplo, e interagem bem com ele por lá. Mas outras tem mais retorno com o Instagram. Aí é preciso ter um olhar atento e ver o que funciona e o que não funciona. Então, antes de pensar numa ferramenta ou estratégia é necessário saber os objetivos do cliente e o que ele busca com um trabalho de comunicação.

Kiwi: Como sua função de atendimento auxilia no planejamento das campanhas?

Maga: Como estamos em contato direto com o cliente, conhecemos bem o negócio dele e seus objetivos. Assim, podemos levar bastante informação para as reuniões de planejamento e ajudar na construção das novas campanhas, criando conceitos e abordagens que serão interessante para o público de cada um.

 

Amanda Britto :: Diretora de Atendimento

O que o seu cliente quer comprar? Entrevista Gi Ribeiro

Estudar o mercado, o consumidor e a forma com esses dois interagem é desafiador para qualquer profissional, mesmo os mais experientes e capacitados. Uma das kiwizetes, a Gisele Ribeiro, sócia e diretora de planejamento, está atualmente mergulhada nesse universo, não apenas na prática do trabalho diário, mas na teoria da pós-graduação em Gestão de Comunicação e Marketing da Universidade de São Paulo, a USP.

“Acho que as empresas precisam parar de comunicar aquilo que querem dizer e passar a dizer aquilo que os clientes querem comprar.” Gisele RIbeiro

Amanda: A sua pós-graduação aborda o marketing de uma forma mais ampla. Quais são as áreas em destaque no curso?

Gi: O termo marketing tem sido um pouco banalizado e mal utilizado. Às vezes, usado como sinônimo de divulgação ou publicidade. Comunicar de forma clara e efetiva é apenas uma das essencialidades do marketing. Ele é fundamental desde o planejamento do produto, análise do mercado, gestão de vendas, distribuição, estratégias de preço, etc.

Gisele_Ribeiro

Essa é a Gi! Sócia, designer e diretora de planejamento da Kiwi Propaganda.

Amanda: Como essa visão do marketing pode ajudar no trabalho específico de comunicação e publicidade

Gi: Na verdade, é uma visão aprofundada, mas de uma certa forma, também geral pelo grande raio de atuação. Quando o marketing é bem trabalhado, terá sido produzido um produto com base no que o público precisa, já posicionado e ideal a um segmento específico e bem conhecido. Tendo em vista todas estas estratégias, qual publicitário não gostaria de divulgar este produto e garantir ao cliente um bom resultado?

Amanda: Qual você acredita ser a grande tendência do marketing para esse e os próximos anos?

Gi: Falar em anos ultimamente tem sido muito arriscado. Em comunicação e publicidade, especificamente, a tendência atual se encontra na produção de conteúdo, interação e ferramentas mobile. Entretanto, acho que as marcas ainda estão muito tímidas dentre todas as possibilidades. Com esta invasão de internet, acredito que a presença das marcas no meio off-line e a criação de experiências estarão em alta. Presença em eventos e atividades sociais não sairão de moda. Mas em um meio onde a criatividade rola solta, o que vale mesmo é fazer diferente, independente da verba.

Amanda Britto :: Diretora de Atendimento

A importância das imagens nas redes sociais

Produzir conteúdo próprio para a mídia social da sua empresa é fundamental para o sucesso da plataforma e prospecção de clientes. As imagens são fundamentais nesse trabalho, e quando se trata especificamente de venda, as fotos e vídeos são formas de estimular o cliente à compra. Deia Cabral, nossa diretora de criação, explica a importância desse trabalho. ” É por meio dessas imagens que o usuário tem possibilidade de decidir se aquele produto agrada ou atende as suas necessidades.”, afirmou.

Foto produzida pela Kiwi Propaganda, para a marca Dstore, com objetivo de apresentar os produtos nas redes sociais da marca.

Contratar e prestar um serviço de mídias sociais que englobe a fotografia é uma grande diferencial para a marca, pois o trabalho flui de forma integrada e rápida. O planejamento deve incluir as sessões de fotos estratégicas.

Foto produzida pela Kiwi Propaganda, para as redes sociais do restaurante Til Cozinha Contemporânea.

Estimulo a compra, apresentação do produto, conteúdo próprio, essas são algumas vantagens da produção de fotos para as redes sociais. É importante, entretanto, reforçar que essa trabalho também deve ser feito de forma profissional. Fotos com baixa qualidade podem passar impressões erradas do produto e terem o resultado contrário desestimulando a compra.

 

Amanda Britto :: Diretora de Atendimento

 

 

2015 da Kiwi

 

Depois de um longo tempo com esse blog parado, decidimos que em 2015 o santo de casa vai fazer milagre e esse será um espaço para contarmos muitas coisas sobre a Kiwi, nossos clientes, nossas conquistas e sobre várias ideias criativas que vão surgir.

Para começar, venho contar que esse ano estamos de casa nova! Sim, uma nova sede, com a nossa cara e cheia de cantinhos especiais que prometem inspirar nossos dias de trabalho.

Eu, se fosse você, ficava ligado, porque muita novidade vem por ai! Aos nossos clientes um ano ainda mais incrível e aos que ainda não são nossos clientes, vamos agendar um bate papo?

Até mais!

 

10 dicas para o seu site ser um sucesso

Já passou a fase de que site era o cartão de visitas da empresa. Sua função não é apenas apresentar seu negócio, mas ser uma porta para que o cliente converse e troque informações. É uma ferramenta importante para fazer negócios, mas principalmente para criar relacionamentos. E são muitos os cuidados necessários para que o site seja interessante e atrativo o suficiente para possuir um grande número de visitas.

Além de um bom layout, o site precisa de um ótimo conteúdo. Páginas estáticas e meramente institucionais não atraem o público. Para aumentar o fluxo de visitações é fundamental criar textos com dicas relevantes, que realmente irão ser úteis ao leitor. É verdade que muitos dos que leem não irão necessariamente comprar o seu produto ou serviço. Mas o que buscamos, na verdade, são agentes influenciadores, ou seja, pessoas que irão falar bem e divulgar seu conteúdo em uma escala muito maior. E ai sim, teremos um potencial maior em atingir um possível consumidor e ainda construir uma boa imagem da marca.

E para alcançar esse objetivo, veja 10 dicas para criar um conteúdo que irá fazer do seu site um sucesso:

  1. Utilize temas interessantes. Busque um olhar diferente.
  2. Use fotos, vídeos, tópicos, listagens, etc. para não deixar seu texto cansativo.
  3. Nunca se esqueça da gramática. Caso tenha dúvidas, consulte um dicionário ou o google :)
  4. Organize-se. Planeje a pauta do seu blog baseada em um gancho*.
  5. Escreva frases na ordem direta, faça parágrafos curtos e utilize palavras simples. Termos técnicos podem dificultar. Escreva como se estivesse falando para um leigo no assunto.
  6. Evite utilizar lugares comuns, estrangeirismos, figuras de linguagem, gírias e gerundismos.
  7. Adicionar referências passa credibilidade, mesmo que sejam links para outros sites. Procure um especialista no assunto escolhido para utilizá-lo como fonte para o seu texto.
  8. Exclamações demais e letras maiúsculas não são boas práticas, pois na internet elas são como se você estivesse gritando. Fique atento.
  9. Você ainda pode otimizar o conteúdo evitando na URL as palavras: de, a, para, onde, que, etc,pois elas não agregam nenhuma relevância. Procure utilizar no máximo 5 palavras, de 60 até 70 caracteres.
  10. Negritos, sublinhados, itálicos e afins devem ser utilizados para dar destaques a informações e prender a atenção do leitor.

E-commerce como estratégia de comunicação

Estar na internet é uma necessidade quase que de censo comum entre as empresas. Como estar nela é que ainda gera muitas dúvidas. Diversas são as formas de posicionar sua empresa na rede: pode-se criar uma estratégia de relaciomento pelas redes sociais, ou  realizar contato através de e-mail marketings e newsletter. Também é possível, e o mais indicado nos casos em geral, criar o próprio site ou e-commerce. Hoje para nos explicar um pouquinho sobre os moldes de um e-commerce e sua função, tivemos um bate papo rápido com Diogo Garcia, Diretor Comercial do Grupo Emídia – empresa especializada nessa área.

Diogo Garcia, Diretor Comercial do Grupo Emídia